REAL FROTA CIRCULANTE NO BRASIL É DE 65,8 MILHÕES DE VEÍCULOS, INDICA ESTUDO

 

Elaborado pelo IBPT em parceria com o Empresômetro, o mais completo estudo sobre a efetiva frota circulante no país identifica total de 50,7 milhões de autoveículos e 15,1 milhões de motocicletas.

Devido aos efeitos da queda drástica das vendas dos últimos 3 anos de autoveículos (automóveis, caminhões e ônibus) a frota circulante praticamente estagnou. Para se ter uma ideia, no ano de 2017, pouco mais de 889 mil veículos foram agregados a esta frota, um crescimento de apenas 1,37% em relação ao ano anterior, é o que indica o levantamento realizado pelo Empresômetro, empresa brasileira de inteligência de negócios em parceira com o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação –  IBPT, instituição referência no Brasil em assuntos estratégicos e de tributação.

É um verdadeiro censo da frota brasileira, com a compilação de dados dos últimos 8 anos de todos os veículos em circulação por tipo, marca, modelo e ano de fabricação por estado e por município, como explica o advogado tributarista e Coordenador de Estudos do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral. “O estudo levou 3 anos para ser concluído e se constitui no mais completo levantamento da frota brasileira de veículos em circulação”, afirma.

Há no Brasil 65,8 milhões de veículos dos mais diversos tipos, entre leves, ônibus, caminhões e motocicletas, todos esses em efetiva utilização. Desse total, 41,2 milhões são automóveis (62,65%), 7,0 milhões são comerciais leves (10,67%), 2 milhões são caminhões (3,09%), 376,5 mil são ônibus (0,57%)  e 15,1 milhões são motocicletas (23,01%).

O Estado de São Paulo possui a maior frota circulante, com 18,9 milhões de veículos (28,76% do total), seguido por Minas Gerais com 8,1 milhões de veículos (12,28%) e Paraná com 5,2 milhões de veículos (7,83%). Contrapondo-se, as menores frotas estão nos estados do Amapá, com 122,5 mil veículos (0,19% do total), Roraima, com 125,1 mil veículos (0,19%), e Acre, com 192,1 mil veículos (0,29% do total).

“Os números dos veículos efetivamente em circulação foram resultados de pesquisas junto ao Denatran, Secretarias de Estado da Fazenda (IPVA), ANTT – Seguradora Líder (DPVAT), com a captura de dados através da Lei de Acesso à Informação”, explica o presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike.

Desde 2011, quando mais de 4 milhões de veículos foram adicionados à frota, com crescimento de 8,32% em relação ao ano anterior, o ritmo de crescimento da quantidade de veículos em circulação vem caindo, atingindo um pífio aumento de 889 mil em 2017, equivalente a 1,37% em relação a 2016.  Segundo Olenike, “se não houver imediata mudança nas políticas para renovação da frota, haverá encolhimento dessa frota circulante, com reflexos econômicos perversos para o país”.

Para download do Estudo completo acesse aqui.

A relevância desse estudo para o governo e setor privado é elevada. “O  levantamento é imprescindível para a formulação de políticas públicas e estratégias empresariais, interessando aos governos, montadoras, indústrias, atacadistas e varejistas de veículos, peças e acessórios, seguradoras, instituições financeiras, reparadores, entidades empresariais e instituições de ensino e pesquisa”, ressalta Gilberto Luiz do Amaral.

Esse texto está livre para publicação. Se precisar de  mais informações ou quiser agendar uma entrevista com os diretores do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral ou João Eloi Olenike, entre em contato com o IBPT.

Recomendados para Você