NOVO ESTUDO DO EMPRESÔMETRO MOSTRA QUE SUDESTE BRASILEIRO É REFERÊNCIA EM PRODUÇÃO DE SOFTWARES DE GESTÃO

Com mais da metade das empresas de produção software, São Paulo leva a região Sudeste à posição de referência em mercado de tecnologia

Curitiba, 30 de abril de 2018 – A evolução tecnológica fez com que muitos processos fossem automatizados dentro das empresas já na década de 80. Hoje, diante da customização, virtualização e o cloud computing, mais e mais pessoas se juntam a outros milhares na produção de software que atendam às principais necessidades do mercado.

Essa nova Revolução Industrial cria inúmeras possibilidades no ramo da Tecnologia, visto o crescimento do mercado no Brasil. São cada vez mais negócios especializados no oferecimento de softwares, equipamentos e serviços na área, tendo movimentado mais de 200 bilhões de reais, somente no ano de 2017.

A gestão cada vez mais matizada pelo tamanho dos empreendimentos e a complexidade de seus produtos e processos, precisa de material digital para que haja coordenação, controle e avanço. Para isso servem os softwares de gestão, que podem ser encontrados nas mais diferentes interfaces e plataformas, e seu desenvolvimento vem tendo um aumento significativo no país.
CENÁRIO ATUAL
Segundo o diretor executivo do Empresômetro, Otávio Amaral, “temos, no momento, mais de 54 mil empresas ativas de desenvolvimento de software de gestão”. Somente em São Paulo, são 28.623, equivale a 52,40% de todas as empresas do setor no Brasil.

Nesse novo estudo do Empresômetro, foram analisados dados públicos para se chegar ao total de empresas de desenvolvimento de software de gestão, tanto em larga escala quanto customizáveis e sob encomenda, excluindo-se aquelas que não tiveram faturamento, não emitem notas nem recolhem tributos.

Há uma concentração dessas empresas na região Sudeste, tornando ela referência em tecnologia de gestão, com 38.955 negócios ativos, perfazendo 71,32% de todas as empresas de desenvolvimento de software de gestão.
Abaixo vemos o número de empresas nas demais regiões:

 

 

 

 

 

 

 

 

MATURIDADE DAS EMPRESAS DO SETOR

 

O chamado boom das startups parece ser um fenômeno recente, pois o que o levantamento do Empresômetro revela é que boa parte das mais de 54 mil empresas de desenvolvimento de software de gestão têm mais de seis anos existência, por volta de 63%, e 20.759 unidades têm mais de 11 anos de mercado.

Apenas 6.762 do total têm menos de dois anos de vida, com destaque para o estado de São Paulo, com mais de 3.100 empreendimentos que estão ativos hoje.
O mais interessante é que na região Nordeste o número de empresas jovens tem números expressivos, como no Maranhão em que 45% das empresas têm até dois anos, seguido do Rio Grande do Norte, com 35% e Piauí com 29%.
Ainda, Santa Catarina e Distrito Federal estão entre os locais com grande número de start-ups,
25% e 29% respectivamente.
O estados que concentram os menores índices de start-ups são Rio de janeiro, com apenas 9%, Amapá com 8% e Acre com 4%.

 
GIGANTES, MAS NO VIRTUAL
Todo mundo espera que o mercado de tecnologia desponte com milhares de supercorporações como Microsoft, Apple ou Google, mas a realidade é bem diferente.
O que o estudo do Empresômetro mostra é que a maioria das empresas de desenvolvimento de software de gestão tem entre 1 e 5 funcionários, são empresas pequenas, que pela especificidade do trabalho, não demanda grandes estruturas ou tantos empregados.

“É a tendência atual do mercado, crescer o suficiente para atender às demandas, com estruturas enxutas e orçamento voltado a investir no produto, principalmente no ramo da tecnologia” diz Amaral.

 
COMO SAIR NA FRENTE?

Com tantas empresas, quais sairão na frente e conseguirão encontrar seus clientes? Essa é uma resposta simples, mas que muitas empresas ainda não sabem como fazer.

Prospecção é palavra recorrente nos setores comerciais de muito negócios, é encontrar o cliente e apresentar seu produto. Mas para isso, é preciso conhecer o mercado, saber seu tamanho, analisar a concorrência e ter acesso aos potenciais compradores, e isso é o Graal das vendas. A prospecção qualificada, a assertividade tanto amada pelos representantes e vendedores, somente é conseguida com dados estratégicos.

“As empresas de tecnologia precisam saber onde seu público está, para os desenvolvedores de sistemas ou softwares de gestão, precisa saber onde estão os empresários e seus empreendimentos para poder oferecer seu produto” esclarece o diretor do Empresômetro.

São recursos como tempo e dinheiro que serão poupados com as informações certas, e nessa área que a todo momento há mudanças, estar um pouco à frente pode ser uma vantagem.