Transformação digital uma questão de sobrevivência!

Transformação digital: uma questão de sobrevivência!

Transformação digital: uma questão de sobrevivência! 

A necessidade de transformação digital é um debate de longa data. Em 2017, por exemplo, pesquisas já demostravam que, apesar do medo e da resistência, o maior risco apresentado pela digitalização seria o não investimento na mudança. 

Vemos, agora, este alerta, quase profético, se concretizar: a pandemia de covid-19 desestruturou a economia global de tal forma que, para sobrevivemos, tivemos que nos adaptar rapidamente e migrar nossas atividades para o espaço virtual.  

Neste cenário, milhões de iniciativas estão pagando um preço alto por procrastinarem aquilo que, já há alguns anos, se apresentava como indispensável para a geração de negócios mais competitivos, inteligentes e inovadores.  

 

A transformação digital no Brasil 

Dados da Exec e da Panorama Researc revelaram que, antes da pandemia, somente 4% das empresas brasileiras possuíam comportamento digital.  Dentre estas, poucas podiam ser consideradas lideranças digitais, ou seja, empresas com bom nível de maturidade. 

Neste ponto, é preciso ressaltar que a presença on-line e a entrega de produtos e serviços não são suficientes para garantir o amadurecimento digital de uma organização. Outros aspectos também são essenciais. Entre eles: 

– Inovação dos modelos de negócios: novas formas de operar e criar finalidades econômicas; 

– Conectividade: engajamento em tempo real; 

– Processos: que devem ser mais ágeis e automatizados, focados na experiência do cliente; 

– Analytics: para ajudar em tomadas de decisões mais assertivas; 

– Cultura de dados: fazendo uso estratégico da informação.  

Portanto, a transformação digital das gestões contemporâneas exige a ressignificação de diversas instancias, modificando estratégias, capacidades, organização e cultura. 

 

Uma questão de sobrevivência  

Apesar de danos e ganhos serem mais evidentes no contexto atual, a hesitação – ou não – em incorporar processos digitais já implicava, anteriormente, em dificuldades para alguns e oportunidades para outros.  

Prova disto é o levantamento realizado pela Harvard Business Review Analytics Services, que concluiu que 68% das empresas que alcançaram liderança digital tiveram melhorias significativas no faturamento de seus negócios.  

Desta forma, se, por um lado, as retardatárias digitais – que já estavam perdendo mercado e se tornariam obsoletas em alguns anos – estão, agora, diante de um quadro ainda mais complexo, por outro, as empresas que vinham investindo na transformação digital encontraram um contexto frutífero e de baixa concorrência.  Afinal, atualmente, são poucos os negócios capazes de oferecerem soluções tecnológicas maduras, com interfaces atrativas e experiências interessantes para o usuário/cliente.  

 

Onde existem dificuldades, existem oportunidades 

Porém, as novas oportunidades não se limitam apenas às empresas que conquistaram certa maturidade digital. Elas se estendem também àquelas que prestam serviços de tecnologia e ajudam outros negócios a se ajustarem ao período. 

Como demonstra a pesquisa Softex, a crise levou 73% das iniciativas analisadas a iniciar processos de transformação digital.  

O que isso significa? Um novo e imenso mercado, repleto de carências e necessidades que precisam ser supridas com urgência e eficácia.  

Para Horst Hunger, COO do Empresômetro, a pandemia acelerou o processo de digitalização no Brasil e criou uma maior demanda por ferramentas de gestão, colaboração e segurança – itens indispensáveis à manutenção ou reinvenção de diversos modelos de negócio: 

“Agora vemos um movimento obrigatório de transformação. O isolamento social quebrou paradigmas e instaurou uma realidade para a qual o brasileiro não estava preparado. A tecnologia não pode mais ser vista como um acessório, algo complementar à gestão empresarial, mas como parte fundamental do próprio negócio. Esta exigência de reposicionamento cultural está fazendo com que milhões de empresas busquem a digitalização como forma de sobrevivência e inovação”.  

A tecnologia da informação também tem sido essencial para que os empreendimentos nacionais consigam absorver e corresponder às novas demandas do mercado. Segundo a IT Mídia, algumas soluções estão ganhando destaque no ecossistema empresarial do país. Na pesquisa, que consultou líderes de grandes corporações, as implementações consideradas mais importantes para o período foram: analytics, robotização e digitalização de processos. 

Em conformidade, Hunger também reforça a necessidade de modernização e atualização dos sistemas vigentes: 

“As empresas que já estavam olhando para a digitalização precisam, agora, modernizar e adaptar suas operações. Muitas, apesar de possuírem presença on-line e realizarem entrega de produtos, não estavam preparadas para outros aspectos. Basta olharmos para as dificuldades impostas pelo trabalho remoto. Com ele, as atividades empresariais migraram para um espaço inseguro e difícil de controlar, ou seja, a rede doméstica. Surge, então, uma forte demanda por segurança cibernética, por exemplo”, esclarece.  

  

Transformação digital e outras tecnologias  

Desta forma, a realidade brasileira ainda é desafiadora e as empresas que souberem vender boas soluções vão prosperar na adversidade.  

É neste cenário que serviços de desenvolvimento de softwares e gestão integrada despontam como grandes aliados empresariais.   

Afinal, a transformação digital, necessária à nova realidade, também precisa de ferramentas de integração e estruturação para trazer vantagens significativas aos negócios atuais, otimizando, organizando e facilitando processos e tomadas de decisão.  

Com um amplo leque de produtos e serviços em ascensão, podemos afirmar que este é um dos setores mais aquecidos no momento: 

“Em lugares maduros, as oportunidades neste segmento são mais escassas e competitivas. Mas este não é o caso do Brasil. A necessidade de adaptação e a nossa precariedade digital criaram oportunidades para muitas iniciativas dedicadas à prestação de serviços tecnológicos”, finaliza Hunger.   

 

Encontre novos clientes com o Empresômetro Digital 

Se você é uma empresa voltada ao desenvolvimento de soluções tecnológicas, já entendeu que está diante de um contexto bastante propícioMas encontrar novos e bons clientes quase nunca é uma tarefa fácil, não é mesmo? 

E é por isso que você precisa do Empresômetro Digital 

 

Explica melhor?! 

Existem mais de 180 mil empresas que prestam serviços de TI no Brasil. São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais concentram o maior volume destas atividades. Desde o começo do ano, já foram abertas cerca de 11 mil novas iniciativas no setor. 

Pois é, nós sabemos tudo isso – e muito mais – porque monitoramos o mercado e possuímos as informações mais atualizadas sobre ele!  

Agora, imagine o que você seria capaz de fazer se também tivesse todo esse conhecimento 

Com certeza poderia criar estratégias mais inteligentes, analisar a concorrência, antecipar tendências, prospectar clientes mais aderentes à sua ofertadescobrir regiões menos competitivas, analisar o potencial de compra dos seus prospects e até identificar empresas recém-abertas, que provavelmente ainda não possuem uma estrutura consolidada e precisam dos seus serviços.  

Enfim, as possibilidades são muitas! Mas você só vai ter certeza dos benefícios testando a nossa ferramenta. Fica aqui o convite!